Compartilhe!

Pesquisar neste blog

11 junho, 2007

Dá-lhe wikipédia - Dia dos Namorados

Amor que nada! Não se nada e morre na praia e viva o capitalismo, os EUA, o comércio, a produção em massa, e os clichês incorporados por todos nós! Dia dos namorados cheio de corações... E, segundo a lenda da decapitação do São Valetim, americano, comprova-se que apaixonar é perder a cabeça.. hahahahahah



Já no Brasil viva Santo Antônio, o santo "casamenteiro"... ai ai ai quanta bobagem! Mas, rendamo-nos aos rituais, pois se sem eles, afinal, a cultura humana tem pouco sentido. Então, lá vou eu me render à cultura....à história... ao comum... para não ir mais uma vez na contramão... porque os mimos fazem parte da construção do divino! E viva, viva, viva. Ter alguém é bom mesmo, ter uma companheiro é bom mesmo, ter alguém que te ama é bom mesmo, ter alguém que você ama é bom mesmo, sentir amor é bom mesmo... Afora essas datas para lá de comerciais, somos seres humanos limitados a repetir. Repetir por normose, repetir por conveniência, repertir por ignorância, repetir por não exclusão. Repetir é o verbo humano! Então, vamos lá com mais um "eu te amo".... ou hnão....


______________________________________


O Dia dos Namorados, tratado em muitos países como Dia de São Valentim, é uma data comemorativa na qual se celebra a união amorosa entre casais, quando é comum a troca de cartões com mensagens românticas e presentes com simbolismo de mesmo intuito, tais como as tradicionais caixas de bombons em formato de coração. No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de Junho, já em Portugal, a data é celebrada em seu dia mais tradicional: 14 de Fevereiro.


História
A história do Dia de São Valentim remonta um obscuro dia de jejum da Igreja Católica, tido em homenagem a São Valentim. A associação com o amor romântico chega depois do final da Idade Média, durante o qual o conceito de amor romântico foi formulado.
O dia é hoje muito associado com a troca mútua de recados de amor em forma de objetos simbólicos. Símbolos modernos incluem a silhueta de um coração e a figura de um Cupido com asas. Iniciada no século XIX, a prática de recados manuscritos deu lugar à troca de cartões de felicitação produzidos em massa. Se estima que, mundo afora, aproximadamente um bilhão de cartões com mensagens românticas são mandados a cada ano, tornando esse dia um dos mais lucrativos do ano. Também se estima que as mulheres comprem aproximadamente 85% de todos os presentes.

São Valentim
Ver artigo principal: São Valentim.
Durante o governo do imperador Claudius II, este proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Claudius acreditava que os jovens se não tivessem família, se alistariam com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentine e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Asterius, filha do carcereiro a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentine. Os dois acabaram-se apaixonando e milagrosamente recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentine”, expressão ainda hoje utilizada. Valentine foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270 d.C.

Data no Brasil


No Brasil, a data é comemorada no dia 12 de junho por ser véspera do 13 de junho, Dia de Santo Antônio, santo português com tradição de casamenteiro, provavelmente devido suas pregações a respeito da importância da união familiar. O casamento - em queda na Idade Média - trazia a união carnal, considerada pecado, naquele período quando se valorizava a vida espiritual celibatária.
A data foi criada pelo comércio paulista e depois assumida por todo o comércio brasileiro para reproduzir o mesmo efeito do Dia de São Valentim, equivalente nos países do hemisfério norte, para incentivar a troca de presentes entre os "apaixonados

4 comentários:

Alena Cairo disse...

"Ter alguém é bom mesmo, ter uma companheiro é bom mesmo, ter alguém que te ama é bom mesmo, ter alguém que você ama é bom mesmo, sentir amor é bom mesmo..."

É isso aí.

Alena disse...

Ah, S. Valentim aqui não vale...

Erasmo disse...

Passei por aqui p/ diser q teu blog tah bem legal... parabéns, vou tentar vir mais vezes... mas, quando der passe tbm no meu blog, deixe um recado..
Participe da minha comunidade no Orkut "blogs e Flogs Incriveis "
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=29251510

Fernanda de Aragão disse...

E viva os rituais! Ame-os, inclusive, para que, pitorescamente, quando você fizer qualquer coisa sem pé nem cabeça, você possa por a culpa nos signos...ah, gente de libra é assim mesmo... um ritual fácil, prático e inteligente pra quando a gente tá se saco cheio... hum, você é de libra, o cara é de touro... os taurinos são assim, gostam de perfumes, compre um pra ele, mas não chegue com tudo não, porque eles se acham. Nossa, como os rituais são trabalhosos! Mas, viva os rituais...

Postagens populares

Total de visualizações de página