Compartilhe!

Pesquisar neste blog

30 março, 2010

Obesidade e arte

Obesidade

Porções em quadros da 'Última Ceia' aumentaram com o passar dos séculos

Plantão | Publicada em 23/03/2010 às 11h59m

BBC
A obra de arte de Leonardo da Vinci

Um estudo da Universidade de Cornell, nos Estados Unidos, afirma que o tamanho das refeições mostradas em vários quadros da "Última Ceia" foram aumentando com o passar dos anos, refletindo o aumento do tamanho das porções ingeridas em refeições através dos séculos.

Especialistas em obesidade estudaram 52 das pinturas mais famosas desta cena bíblica, criadas no último milênio, para analisar o tamanho da ceia. Entre as obras analisadas está "A Última Ceia" de Leonardo Da Vinci e representações criadas pelo pintor alemão renascentista Lucas Cranach e por Rubens.

A conclusão foi de que os acompanhamentos, pão e pratos colocados diante de Jesus e dos apóstolos aumentaram, progressivamente, em até dois terços.

Os pesquisadores afirmam que a descoberta sugere que o fenômeno - servir porções maiores em pratos maiores - ocorreu de forma gradual no decorrer do milênio.

- Os últimos mil anos testemunharam aumentos dramáticos na produção, disponibilidade, segurança, abundância e capacidade de adquirir alimentos - afirmou o professor Brian Wansink, que liderou a pesquisa junto com seu irmão Craig Wansink. - Acreditamos que, assim como a arte imita a vida, estas mudanças foram mostradas em pinturas sobre o mais famoso jantar da história - acrescentou.

A pesquisa foi publicada na revista especializada International Journal of Obesity.

Tecnologia

A equipe da Universidade de Cornell usou computadores para examinar os quadros e calcular medidas relativas dos objetos mostrados. Os pesquisadores se basearam na suposição de que, naquela época, um pão inteiro deveria ter, em média, uma largura correspondente a duas vezes a largura média da cabeça de um dos discípulos retratados para, com isso, calcular o tamanho dos pratos.

Os cientistas afirmam que as refeições principais aumentaram em 69% e o tamanho do prato aumentou 66% entre a pintura da "Última Ceia" mais antiga analisada (um quadro de cerca do ano 1000) e a pintura mais recente (dos anos 1700). O tamanho do pão, segundo estas análises, aumentou em cerca de 23%. Os aumentos maiores foram vistos em pinturas criadas depois de 1500.

Craig Wasink, que é professor de estudos religiosos, afirma que as mudanças nos tamanhos das porções provavelmente é o reflexo da cultura nos quadros, e não da teologia.

- Não há razões religiosas para as refeições ficarem maiores. Pode ser que as refeições realmente tenham crescido, ou que as pessoas simplesmente ficaram mais interessadas em comida - afirmou.

Mas, Charlene Shoneye, nutricionista da instituição de caridade britânica ligada ao controle do peso Weight Concern, afirmou que não está surpresa "por estas descobertas, pois o tamanho de nossos pratos e porções de comida aumentaram".

- Por exemplo: há 20 anos a maioria das batatas fritas vinham em pacotes de 20 gramas. Agora elas vem em pacotes de 30 gramas, 50 gramas ou até 60 gramas, e ainda estamos comendo o pacote todo. Este aumento no tamanho mudou nossa percepção do que é normal - acrescentou.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

Nenhum comentário:

Postagens populares

Total de visualizações de página