Compartilhe!

Pesquisar neste blog

18 março, 2007

As azeitonas






Coisas, lugares, cheiros, músicas, cores, gostos
trazem lembranças.
Minha memória está, hoje, perfumada de azeitonas.
Não tem vida sem caroços.
Não há percurso sem jogos.
Não vi exército de um homem só.
As olivas estão enfileiradas, aguardando.
Um passo. Uma bocada.
Um tropeço. Uma cuspida.
Por vezes se fica na salmoura, esperando.
A temperança. O acolhimento.
A verdade. O esquecimento.
Preferia a ebriez do vinhedo.
Mas, dos meus olhos só escorre o azeite.

Nenhum comentário:

Postagens populares

Total de visualizações de página