Compartilhe!

Pesquisar neste blog

18 novembro, 2008

Aporrinhado Terminal

Marcelo Nova


"Saco cheio baby, de chupar o seu sorvete
Saco cheio baby, de lamber todo o seu creme
De cheirar essas "porcaria" e de ouvir essas "FM"

Saco cheio baby, de ganhar essa mixaria
Entediado toda noite, todo dia
E "cê" só quer roupinha nova, "cê" só quer danceteria

Voce diz que é tão moderna, quer ser tão anos 90
Ok tá tudo bem, mas o meu saco não agüenta

Não agüenta, não agüenta, não agüenta

Saco cheio baby, de bancar o surdo mudo
Dessas pessoas que sempre acreditam em tudo
Que Deus é branco e que o diabo é chifrudo

Saco cheio baby, de tanta mediocridade
É domingão minha filha, seu baú da felicidade
Quanto ao futuro, já to morrendo é de saudade

Saco cheio baby, de mais um plano infalível
Já to retado, vou acabar baixando o nível
Faz tempo que já não tem luz, mas ninguém troca esse fuzivel

Saco cheio baby, de chupar o seu sorvete
Saco cheio baby, de lamber todo o seu creme
De cheirar essas "porcaria" e de ouvir essas "FM "

Minha filha, eu sou um aporrinhado terminal
Até sozinho aqui no quarto parece que tem gente demais"


_________________________


pra não me esquecer....

Nenhum comentário:

Postagens populares

Total de visualizações de página