Compartilhe!

Pesquisar neste blog

17 junho, 2007

O inferno somos nós

Para quê tantos quereres?
Aquele seriado 24 horas, não me parece exagero.
Embora as "ações" nem sempre sejam críveis, penso que vivo num mesmo turbilhão.
Nos últimos dias me deparei com situações atropeladas umas nas outras.
Um amontoado de "coisas" para resolver.
Mudança de casa, cirurgia de mãe, trabalho, aplicação e correção de provas, demissão, filha, casa, faxineira, empregada,empréstimo bancário, eletricista, montador da loja A, montador da loja B, supermercado, e, por fim, tentar dormir algumas horas na madrugada.
Nem é preciso dizer que estou um lixo! Um trapo humano! E, ainda, estou longe de resolver e conciliar tudo.
Se eu queria tudo assim "encavalado"?
Não!
Mas, foi dessa forma que as coisas se deram.
Ouvi ontem uma frase que gostei:
"Quem planeja tem futuro, quem não planeja tem destino".
Engraçado, anos passados eu era uma "planejadora" do que estava por vir.
As férias, a casa própria, o amor, o trabalho, as contas bancárias etc.
Era mais calculista.
Era mais feliz?
Não!
A angústia batia forte. Pois, ninguém tem controle sobre nada.
É mera ilusão acreditar que podemos "controlar" os passos.
Atualmente, decido em prazos bem mais curtos.
Transformo-me com mais clareza.
Percebo melhor a mim e ao mundo que me cerca.
Serviu para ser mais feliz?
Talvez não, por pura incompetência.
Digo isso porque, apesar da visão mais ampla, a angústia também se ampliou.
Juntando a noção controle impossível com a de impotência frente a realidade, tornei-me cética.
Não descrente da natureza provável ou possível da vida. E, sim, dos "clichês" desgastados.
Meu irmão diz que "tudo é psicanalisável". Sei não.
Ter entendimento pode não ser suficiente para mudar algo em si mesmo.
Sempre me "ajudaram" a filosofia, a literatura, as artes, a comunicação, e até mesmo a psicologia.
Contudo, foram elas, também, que me levaram a uma insuportável lucidez.
Tomar consciência da pequenez humana é um "alívio doloso".
Saber mais para se sentir (como Ser) menos...
Conhecer mais para sentir (sofrer) mais...
Um livro bem marcante para mim foi "Ensaio sobre a cegueira", do Saramago.
A cada linha, a cada página, a cada tempo debruçada sobre o livro, minha cabeça afirmava e meu olhos entristeciam.
Quando Jack Bauer, o super-agente-anti-terrorismo, age em nome da "honra" profissional está ele cego ou não? É por sua verdade que ele detona aqui e ali ou por uma simples "obrigação"?
Aqui páro e penso sobre minha cegueira. Penso sobre a forma de "ver" o mundo que construi a partir de tantas leituras e experiências. Penso sobre as "minhas verdades" e as "minhas obrigações".
Certo está quem plantou o ditado "o inferno somos nós". Só ainda não aprendi a me transformar em paraíso.
E, 24 horas são poucas para tantos quereres...

3 comentários:

rogerio silvério disse...

dificilmente sai tudo cem por cento como planejamos e sonhamos na nossa tela mental. Mesmo porque, se tudo saísse como planejamos, nos tornaríamos pessoas más. Veja por exemplo um sujeito como o Bush, tudo o que ele planeja e quer acaba por acontecer, tem poder e dinheiro, por isso ele é o demônio que é. Aprendi que nem tudo deve ser como a gente quer, as coisas vão acontecendo. Certamente que os deuses se divertem muito com a gente, já que somos títeres deles. Olha só, estou no recanto com um de meus heterônimos, Júlio Leófitas, que tirei dum conto meu, é um personagem meu. Ninguém sabe, é claro, tomara que nenhum recantista leia isto aqui, mas se ler, não vão me dedurar, pois fui expulso como Rogério, impedido de me cadastrar novamente devido a brigas lá dentro (me denunciaram, falei palavroes demais para um recantista num comentário). Bico calado , please, deixa o Júlio quietinho lá, se bem que já tem gente desconfiada do meu jeito de escrever rogeriano. Bjs. Xau.Nao esqueça: Júlio Leófitas, no REcanto.

manoela disse...

pois óie, eu não sei de nada disso não, só sei que o Jack Bauer é gatíssimo e que eu correria pra lá e pra cá 24 h com ele huauhauhaauhahuahu, menina, chega uma hora que o "deixa a vida me levar, vida leva eu" é a coisa mais sábia a ser feita. aproveite o que lhe cai nas mãos. bjos

Le mie Osservazioni disse...

De blog em blog a gente acaba achando uns bons mesmo neh?
Parabéns, me fez refletir novamente sobre Janela da Alma.
Vou te por nos meus favoritos.

Postagens populares

Total de visualizações de página