Compartilhe!

Pesquisar neste blog

12 maio, 2007

Clodovil no covil



Clodovil no covil

Por Solange Pereira Pinto
11.05.2007

Sabe aquela história “ouvir o galo cantar e não sabe onde”? É assim que vivemos: feito papagaios, calorosos, repetindo pedaços de noticiários. O debate descontextualizado e infantil em torno da polêmica causada por Clodovil ilustra a ignorância cotidiana. Esse é apenas mais um caso dentre tantos outros veiculados nos meios de comunicação de massa, ávidos por audiência provocada por sensacionalismo, que “deforma” a opinião pública (pois isso é o que vende, infelizmente).

Foi no meio do debate para aprovar mais um feriado para o Brasil, em homenagem ao Frei Galvão (????), que a deputada teatral do PT/RJ, Cida Diogo, interrompeu a fala do Inocêncio e chorou em plenário! Na mesma sessão, também, foi votado o reajuste salarial deles na ordem de 28,53%. Ainda lá, Gabeira queria discutir as viagens dos deputados e Clodovil a condição da mulher na sociedade atual.

Se a forma de Clodovil expor seus pensamentos não foi a mais adequada, a reação da deputada chorona foi menos adequada ainda. Ou teria ela intenções sensacionalistas?

Vamos pensar: se a deputada se diz tão ofendida por ser feia e não poder ser puta (apesar da profissão política ser em muitos casos também uma prostituição, ao se receber dinheiro público para defender interesses próprios) ela acaba por confirmar as palavras de Clodovil, sobre a mulher atual. NÃO SE PODE SER FEIA! Pois, nesse caso, o deputado a eximiu da possibilidade de ser prostituta. Isso porque, no contexto, Clodovil, pelo que vi na imprensa, em momento algum deu nomes aos bois e discutia sim uma "idéia", até a "decorosa" deputada se meter fazendo abaixo-assinado contra sua opinião dada em outra situação fora da Câmara.

Diz o noticiário: “em prantos, a parlamentar o acusou, no Plenário da Casa, de tê-la agredido verbalmente enquanto ela recolhia assinaturas para uma representação contra o deputado”, que, por sua vez, em outra ocasião, disse que “as mulheres ficaram muito ordinárias, ficaram vulgares, cheias de silicone e hoje em dia as mulheres trabalham deitadas e descansam em pé. A gente não pode concordar com esse tipo de coisa”. Segundo testemunhas, ele teria dito que ela ‘é tão feia que não poderia nem ser prostituta’". Ser chamada de “feia” é motivo para tal escândalo e desordem emocional em pleno trabalho? Sei que criança de seis anos chora quando é chamada de “feia”, de “chata”, de “boba”; adulta com baixa auto-estima também.

Inteligentemente, Clodovil responde na imprensa “essa coitada é manipulada pelo partido dela. "Eu fui muito antipático, mas falei distanciadamente. Foi horrível, eu sei. Sei que fui cruel, mas não a agredi", afirmou ele. "Nem cheguei a dizer que era feia. Agora é evidente que estava dizendo isso no subtexto. Eu não tenho o direito de achar uma pessoa feia ou bonita?", questionou.
Vendo o vídeo produzido pela TV Câmara ficam patentes as posturas de um e da outra. Clodovil assume sua postura. Poderá pagar por ela sim, pela simples liberdade de expressão, como está costumeiro no Brasil. De um jeito ou outro os limites parlamentares, os costumes em geral, têm sido testados, como, por exemplo, o "direito" de se usar ou não chapéu "nordestino" (não vejo qualquer problema nisso) no plenário.

Entretanto, não faço a menor idéia do que realmente signifique “decoro parlamentar”, pois vejo cada coisa esquisita rolando por ali. O dicionário diz que decoro é recato no comportamento; decência ou conformidade com os padrões morais e éticos da sociedade. É possível atualmente definir quais são os padrões morais e éticos do nosso país?

Aliás, a meu ver, Clodovil tentava discutir exatamente isso: a decência da mulher brasileira. Criticava a forma da mulher se posicionar como fêmea ao buscar "demedidamente" beleza, silicones, plásticas, chapinhas, artificialidade, e, por fim, uma vulgaridade que no fim das contas procura mesmo é por dinheiro, seja vindo de homens (namoros, amantes, casamentos) ou capas de revistas etc. O Big Brother Brasil é claro exemplo disso. As gostosas de cabelo espichado falam um monte de baboseiras para a TV e no fim saem nuas para as revistas. É isto dignidade? Seria algum despautério afirmar que "as mulheres hoje em dia trabalham deitadas e descansam em pé"? Note-se: “hoje em dia” e mulheres de forma “genérica”.

Aí o galo canta. Cida Diogo protocolou no Conselho de Ética uma representação por quebra de decoro parlamentar contra Clodovil, motivada pelas declarações feitas e não satisfeita também deu entrada numa representação na Corregedoria da Câmara, com o apoio de 100 parlamentares, por ele ter afirmado em seu programa de TV, há 15 dias, a tal frase.

Para engordar a cantoria do galo, publica a mídia, que “o líder do PT na Câmara, Luiz Sérgio (RJ), protocolou um pedido para que o deputado Clodovil Hernandes (PTC-SP) seja punido por falta de decoro parlamentar por ter agredido verbalmente a deputada Cida Diogo (PT-RJ)”. E mais, na representação, Luiz Sérgio afirma que Clodovil tem sido "extremamente preconceituoso, sexista e homofóbico, no exercício do mandato parlamentar" e que desrespeitou a Constituição, o Código de Ética e o regimento interno. Enquanto isso, a deputada Maria do Rosário (PT-RS) pediu a expulsão de Clodovil Frente Parlamentar GLBT - Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transexuais (ele, que é assumidamente homossexual, diz que não integra essa frente).

Ao que se saiba homofobia é rejeição ou aversão a homossexual e a homossexualidade. E Clodovil não parece ter essa postura, mesmo dizendo sabiamente que não se orgulha de ser gay, mas de ser ele mesmo (o que faz muito mais sentido). Se for para o lado sexista, seria então ele um misógino? Ele “detesta” as mulheres apenas por que alerta sobre o que todos vêem diariamente? O preconceito é chamar alguém de feia?

Analisando quem é quem é no galinheiro, parece mais é projeção (“mecanismo de defesa que consiste em atribuir a terceiros ou ao mundo que o rodeia os erros ou desejos pessoais”). Deputadas e deputados “indignados” contra Clodovil não por uma fala “você é feia”, mas por serem eles próprios mais preconceituosos, sexistas e homofóbicos. Clodovil é gay, diz o que pensa, foi o terceiro candidato mais votado em São Paulo por ser como é, e representa, sim, parte da população. Deputados e deputadas do PT e outros simpatizantes querem linchar Clodovil do covil, por quê? Ele ameaça a ignorância.
________________________

Entrevista com a deputada ofendida aqui Procurei entrevista com Clodovil sobre o mesmo tema e não achei... Mas a matéria da TV Câmara (não consigo postar o link aqui) é bem elucidativa.

4 comentários:

Alena disse...

Cada povo tem o político que merece.

Soll disse...

Uns mais outros menos. hahahahah

Eu gostei da postura do Clodovil, sinceramente.

rogerio silvério disse...

Alena disse tudo ali em cima. O povo merece mesmo. E as leis que a gente vai ter de cumprir, é feita por esses políticos.
O Clodovil é uma agitador, ele quer ver é o circo pegar fogo, Solange. Tá na cara que ele entrou lá não só pra ganhar dinheiro, mas pra fazer o circo pegar fogo! Tá ficando perigoso isto, viu Solange? Daqui a pouco entra um ditador, fecha o congresso e acaba com essa loucura.
Outra coisa: eu achei a deputada não tão feia assim, e se for feia, putz, mulher feia é que bela! Mulheres, fiquem feias! Eu adoro mulher feia também, juro! As mulheres feias parecem que estão com um furor uterino reprimido, é uma maravilha isto!

Janethe Fontes disse...

Soll querida,

Dessa vez, discordo completamente de vc. Fiquei até um pouco impressionada com essa sua defesa ao Clodovil.

Postagens populares

Total de visualizações de página