Compartilhe!

Pesquisar neste blog

08 fevereiro, 2007

Quem educa quem?


Ana Luppso (5 anos) descobrindo, em casa, os prazeres da pintura

Creio que aprender seja um desafio diário, e que ensinar seja um compromisso humano. Nessa caminhada, a questão que fica para mim é: "quem ensina quem?".

Muitas vezes, responsabilizamos a escola pela "obrigação do educar". Contudo, esse papel se estende (no meu entender) ao governo, órgãos públicos e privados, famílias e todas as instituições que compõem uma socidade.

São as trocas, as interações, as relações que, sem dúvida, promovem crescimento. É o conhecimento acumulado, por séculos, que permite encurtar atalhos para certos temas. "Educar" vai além de ensinar a ler e escrever, fazer contas, ou decorar fórmulas de física e química para o vestibular.
Educar, penso, envolve também ética, valores, cidadania, posturas individuais e coletivas, além da capacidade de lidar com a própria vida em busca dos objetivos pessoais e da tal felicidade.

Na condição de mãe, posso dizer que aprendo diariamente com minha filha, que ainda traz a espontaneidade da liberdade, da inocência, da curiosidade e da coragem. Acredito que, em grande parte das vezes, tenho feito por ela é a tentativa de "enquadrá-la" para uma vida em "sociedade", o que me causa dúvidas, tristeza e a sensação de não permiti-la ser quem poderia ser, mas ser alguém "moldada". Isso é educar?

Claro que também tento respeitar seus limites, será? Sob qual ótica? Daquilo que considero limite? Do limite dela ou do meu? Educar não é simples. Nos esbarramos nas nossas dificuldades, na pressa, na imposição social, no mercado financeiro, nos apelos publicitários de consumo, nas diferenças raciais, ideológicas e religiosas. São muitos os percalços no percurso da educação.

O que tem facilitado um pouco meu papel de mãe é compartilhar experiências com outras mães, pais, avós, tios e uma gama infinita de pessoas que convivem comigo diariamente. Tem sido nessa troca de informações e nas observações atentas do que é "ser criança" que vou mudando meu leme e tentando fazer o barco não naufragar nesse oceano de informações e diferenças.

Talvez, o que mais tenho aprendido é que respeitar as diferenças é o desafio maior; que não projetar em um filho os nossos desejos ou frustrações requer uma atenção diária; que proteger a infância é uma obrigação de nós adultos; que no fim das contas eu mais aprendo do que ensino...

Por isso pergunto: quem ensina quem?

2 comentários:

Alena disse...

A gente educa um tempão... até que percebe o milagre de que está sendo educada também. É interação.

Manoela disse...

oi soll, saudade de vc, pessoa inquieta da minha tribo! vc já leu Pedagogia da Autonomia, do Paulo Freire? Vou colocar aqui só ons intens do índdice, tá?

1. Não há docência sem discência
- Ensinar exige rigorosidade metódica
- Ensinar exige pesquisa
- Ensinar exige respeito aos saberes dos educandos
- Ensinar exige criticidade
- Ensinar exige estética e ética
- Ensinar exige a corporeificação das palavras pelo exemplo
- Ensinar exige risco, aceitação do novo e rejeição a qualquer forma de discriminação
- Ensinar exige reflexão crítica sobre a prática
- Ensinar exige o reconhecimento e a assunção da identidade cultural
2. Ensinar não é transferir conhecimento
- Ensinar exige consciência do inacabamanto
- Ensinar exige o reconhecimento de ser condicionado
- Ensinar exige autonomia do ser do educando
- Ensinar exige bom senso
- Ensinar exige humildade, tolerância e luta em defesa dos direitos dos educadores
- Ensinar exige apreensão da realidade
- Ensinar exige alegria e esperança
- Ensinar exige a convicção de que a mudança é possível
- Ensinar exige curiosidade
3. Ensinar é uma especificidade humana
- Ensinar exige segurança, competência profissional e generosidade
- Ensinar exige comprometimento
- Ensinar exige compreender que a educação é uma forma de intervenção no mundo
- Ensinar exige liberdade e autoridade
- Ensinar exige tomada consciente de decisões
- Ensinar exige saber escutar
- Ensinar exige reconhecer que a educação é ideológica
- Ensinar exige disponibilidade para o diálogo
- Ensinar exige querer bem aos educandos

Você com certeza é uma educadora Sol! Agora, o que me preocupa, e esse monte de professor por aí? Bjinhos!

Postagens populares

Total de visualizações de página