Compartilhe!

Pesquisar neste blog

28 julho, 2006

Um dia como outro nem sempre qualquer

Uma das maiores tristezas, e das maiores belezas, é descobrir que sabemos exatamente quem é quem. É você olhar para a pessoa e saber: ela é assim, ela pensa assim. E, depois, se deitar na cama, ainda que meio pretencioso, e dizer: eu sabia. E, confirmar que sabia mesmo, ainda que tenha se fudido em saber. Mas, você, sabia. você realmente sabia. E, ela, esta, a pessoa é como exatamente você a via.

Um comentário:

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Postagens populares

Total de visualizações de página